www.diariodorock.com.br: CIRCLE PIT \\ Asking Alexandria: Resenha do show de sábado
"Satan laughs as you eternally rot!"

25 de set de 2012

CIRCLE PIT \\ Asking Alexandria: Resenha do show de sábado

ASKING ALEXANDRIA, MISS MAY I E CHELSEA GRIN

Carioca Club, SP/SP (22/09/2012)

Texto por Norman Lima

E lá vamos em nós na missão de cobrir mais uma trinca metalcore sold out produzida pela a Liberation.

O Lineup dessa ‘South America Tour’ tinha como Heads o Asking Alexandria , com o suporte de Chelsea Grin e Miss May I. E como de costume, o Carioca estava abarrotado horas antes de o evento começar. Os gritos, circle pit e uma bela vaia pro DJ - que insistia em tocar músicas que nada tinham a ver com o estilo – preparava o ambiente para o incrível Chelsea Grin iniciar destruindo. Deathcore cheio de breaks, blasts e performance matadora. Os caras tiveram a plateia nas mãos durante todo o set. Clima excelente e sincronia perfeita mesmo com o palco engolido pela a bateria da banda principal.

Todo o set, foi completamente invadido pelos fãs cantando junto e praticando os tradicionais ‘death circle pits. My Damnation e Recreant foram os grandes destaques dessa brilhante apresentação. E com base nisso, digo: O Chelsea Grin é o tipo de banda que você não pode sair do show sem um item ou todos do seu merch.

Em seu set, músicas como The Second Coming, Lilith, The Human Condition, The Foolish One, Sonnet of the Wretched, Cheyne Stokes, Don't Ask, Don't Tell.

Durante o intervalo, esperando a segunda banda, a dificuldade para circular na casa era enorme. Acredite, estava completamente lotado. O calor dentro do Carioca beirava o absurdo, e com isso, vários adolescentes (99% do público presente) desmaiavam, passavam mal, ou simplesmente agitavam sem nem se importar. Só melhorou quando o pessoal disparou a berrar pelo o Miss May I que veio em seguida, bem preparada pra demolir. Um pouco confundida com ‘christ metal core’ por causa do tipo de letras da banda, e muitos shows com grupos desse seguimento, o Miss May I executa o set carregado de energia e a multidão agitada formava o cenário certo pra eles, que de cara mandaram Relentless Chaos. O vocalista Levi Benton se relaciona muito bem com o público e agradece soltando aqueles palavrões típicos. O cara canta e agita o tempo todo, pulando, batendo cabeça, ou simplesmente cruzando o palco de lado a lado. A recepção que eles tiveram, meio que soa como se sua passagem por aqui ocorresse bem atrasada. Em relação aos ‘coros estridentes ’ melhores vistos em Hey Mister e Ballad of a Broken Man, não resta dúvida que levariam o título de melhor desempenho da noite.

Além das citadas, o set ainda teve músicas como Day By Day, Forgive and Forget, Our Kings e Masses of a Dying Breed.

E chegando na parte final dos sets, hora de conferir o nome principal segundo o cartaz e produção. Usando como referência a quantidade de jovens com shirts do Asking Alexandria parece que existe um sentido pra ser headliners. No entanto eu fiquei perdido logo no começo, mesmo com uma manifestação maior do público. Nunca vi um frontman não cantar nada e ainda num estilo como o metalcore que tem como regra os poderosos screams!

Assustador não é? Qual o segredo do Asking Alexandria para ter um número de fãs tão gigante? Quem souber nos conte!

A verdade é que um pouco desse sucesso deve estar relacionado ao seu vocalista Danny Worsnop, que arranca suspiros das meninas o show inteiro – pior que isso; ele recebeu uma chuva de sutiãs e calcinhas durante todo o show (que eram colocadas em seu pedestal, formando quase que uma escultura moderna!)

O festival de garotas sem camisa – apenas de sutiã – e suadas era um espetáculo á parte! Me senti num show do Mötley Crüe!

No quesito interação não passa do normal, além de alguns tropeços no palco. A troca de microfone rendeu boas risadas! (muitos acusaram Danny de usar playback, mas a verdade é que para o público que lotou a casa, isso não passou de boato!). Eu não sei qual é o problema real do vocalista Danny, entretanto ele consegue manter o publico todo do seu lado. Sem se prender esse ‘pequeno’ detalhe, seu rendimento não é ruim, sabe comandar sem o uso da voz, fato é que, o set acontece sem qualquer interrupção, porém beirando o ridículo, em algumas partes. O público nos salvou!

E assim encerrou-se mais um bem sucedido show da Liberation MC que aos 20 anos, mantém uma regularidade de público incrível em seus shows!

Set list Asking Alexandria

Welcome
Closure
Breathless
A Lesson Never Learned
A Prophecy
Not the American Average
Run Free
Dedication
Dear Insanity
To The Stage
Morte et Dabo

Encore:
Alerion
The Final Episode (Let's Change the Channel)

0 comentários:

<< mais lidas

© Copyright - Diário do Rock - Headbangers Blog! - Todos os direitos reservados
anthony@diariodorock.com.br