www.diariodorock.com.br: REVIEW << Monsters of Rock Brasil: curiosidades para matar a saudade
"Satan laughs as you eternally rot!"

28 de jun de 2012

REVIEW << Monsters of Rock Brasil: curiosidades para matar a saudade


Vamos relembrar alguns fatos das quatro edições brazucas do mais tradicional festival de Heavy Metal do mundo.

- A Philips foi a empresa que promoveu o evento no país.

- Os três primeiros Monsters tiveram como sede o estádio do Pacaembu. O último ocorreu no Ibirapuera.

- O maior público foi registrado em 1996. Nada menos que 50 mil pessoas presentes, número muito motivado pela primeira apresentação do Iron Maiden no Brasil com o vocalista Blaze Bayley.

- A primeira edição, realizada em 1994, foi a que contou com o maior número de atrações nacionais. Foram quatro bandas: Angra, Viper, Dr. Sin e Raimundos.

- Em 1996, King Diamond realizou dois shows em seqüência. Primeiro com o Mercyful Fate, depois com sua banda solo.

- Não bastasse a já dura tarefa de se apresentar duas vezes seguidas, King ainda precisou superar um contratempo de ordem intestinal. Após se esbaldar com pratos de feijoada, o cantor justificou sua alcunha de Rei e precisou sentar no trono inúmeras vezes nos dias seguintes.

- Megadeth, Slayer e Raimundos foram as bandas que mais se apresentaram na história do festival. Cada uma participou duas vezes.

- O baterista Jimmy DeGrasso esteve presente em três edições. Em 1994 com o Suicidal Tendencies, 1995 com Alice Cooper e 1998 com o Megadeth.

- Headliners do primeiro Monsters, o KISS surpreendeu por não tocar o seu maior clássico, “Rock and Roll All Nite”.

- Nesse show, Paul Stanley cometeu duas gafes. Dedicou “Cold Gin” a quem tinha visto a banda em 1982 (erro que também constava no press-release). E anunciou “I Stole Your Love”, do álbum “Love Gun” como sendo de “Rock and Roll Over”.

- No mesmo ano, o Black Sabbath trouxe uma formação atípica, com todos os instrumentistas da formação original e o vocalista Tony Martin, que jamais havia tocado com o baterista Bill Ward anteriormente.

- Apesar de toda sua história, o Sabbath se apresentou antes do Slayer. Na coletiva oficial, ao ser perguntado sobre a situação dos veteranos, o guitarrista Kerry King disparou: “Eles já deviam ter se aposentado faz muito tempo”.

- Equivocadamente escalados para o evento em 1995, o Virna Lisi foi hostilizado pela platéia o tempo todo. O ápice aconteceu quando o vocalista anunciou que iam “tocar um samba, pois estamos no Brasil”. As coisas só acalmaram um pouco quando Igor Cavalera entrou para uma participação especial.

- Um ano mais tarde, a vítima da vez seria o Skid Row. Tocando entre Iron Maiden e Motörhead, o grupo serviu de alvo para tudo que os headbangers tinham em mãos. A experiência foi tão traumatizante que Sebastian Bach lembra até hoje e constantemente cita o momento.

- Três shows realizados no festival foram lançados oficialmente. O KISS incluiu sua participação como bônus no terceiro volume da série de DVDs KISSology. Também no formato, o Manowar incluiu sua apresentação em 1998 como atração principal em Hell On Earth Part II. Do mesmo ano, o Korzus retirou sua apresentação para o CD Live at Monsters of Rock.

- O Slayer foi headliner da última edição, embora inicialmente não estivesse programado para tal função. A produção tentou trazer Judas Priest e Van Halen, mas não teve sucesso nas investidas. Coube a Tom Araya e seus asseclas realizar o último concerto da história do Monsters of Rock Brasil.

Fonte: Monsters of Rock Brasil: curiosidades para matar a saudade - Curiosidades http://whiplash.net/materias/curiosidades/126322.html#ixzz1z75cMwfd

0 comentários:

<< mais lidas

© Copyright - Diário do Rock - Headbangers Blog! - Todos os direitos reservados
anthony@diariodorock.com.br