www.diariodorock.com.br: TRETAS\\ Queensryche: escrevi 116 das 144 canções gravadas, diz Tate
"Satan laughs as you eternally rot!"

26 de jun de 2012

TRETAS\\ Queensryche: escrevi 116 das 144 canções gravadas, diz Tate


Em entrevista à Rolling Stone, Geoff Tate falou pela primeira vez sobre o rompimento com o Queensryche.

Quando exatamente as tensões começaram?

Em toda banda isso acontece em algum momento. São personalidades diferentes. Nunca fomos um grupo de muitas tensões. Tínhamos desafios com os discos e pessoalmente. Quando Chris DeGarmo saiu, em 1998, foi algo que nos atingiu muito forte. Mas essa coisa nova surgiu do nada. Não estava esperando por isso.

E como surgiu?

Acho que foi em fevereiro desse ano. Começou com discordâncias sobre fatores econômicos, queriam terceirizar nosso merchandising. Tínhamos controle sobre isso e os outros três caras queriam passar para as mãos de alguém. Parecia uma ideia ridícula para mim. Foi quando tudo começou.

E depois, o que rolou?

Fomos forçados a tentar nos entender. Tentei fazer enxergarem que não era uma boa saída. Para que tirar dinheiro do nosso próprio bolso e entregar a outra pessoa? Nosso manager acabou achando outra empresa como alternativa a que eles queriam. Ia custar menos, mas discordaram.

E musicalmente? Vocês se alinhavam?

Essa é uma situação estranha também. No release, disseram que havia diferenças criativas. Mas para se ter isso, é necessário, no mínimo, ter duas entidades oferecendo ideias, o que não era o caso. Desde o primeiro disco, o Queensryche foi baseado nos meus pensamentos. Os conceitos, os temas, tudo era criado por mim. Desde The Warning, passando por Rage For Order, Operation: Mindcrime… Escrevi 81% das letras e músicas. Das 144 canções gravadas, escrevi 116. Sou a energia criativa do grupo, especialmente após a saída de Chris. Quando ele estava ali, compartilhávamos a tarefa, mas quando saiu, ficou tudo comigo. Sou alguém criativo, escrevo todo dia. Apresentava a eles e nunca discordaram.

O vocalista terminou a entrevista falando sobre a frustração pessoal com os outros músicos. “Nos conhecemos há 30 anos. Nossos filhos cresceram juntos. Compartilhamos churrascos, casamentos, divórcios e nascimentos. Ter acabado dessa forma hostil é loucura. Simplesmente não entendo”.

0 comentários:

<< mais lidas

© Copyright - Diário do Rock - Headbangers Blog! - Todos os direitos reservados
anthony@diariodorock.com.br